terça-feira, 26 de julho de 2016

Capítulo Dois

Ashley havia deixado a chave da sua casa com os vizinhos, pois tanto ela como Niki estariam no trabalho quando Vanessa chegasse. Ela havia sido instruída a bater na porta de Signora DeFiore, apresentar-se e pegar a chave.
— Buon giorno, Signora DeFiore? — Vanessa começou, quando a porta do vizinho se abriu e uma mulher bonita, de meia-idade sorriu calorosamente para ela. Ela estava prestes a se apresentar e pedir a chave, foi envolvida em um forte abraço pela signora, que beijou suas faces, duas vezes, e começou um discurso de como estava contente em conhecer a prima de Ashley, enquanto a conduzia para dentro e começava a colocar a  mesa para o almoço. Vanessa foi pega de surpresa, pois as boas vindas de um completo estranho não era algo que os vizinhos fariam. Ou alguém em Londres, para ser bem sincera.
Uma hora, uma deliciosa refeição e duas xícaras de café depois, Vanessa saiu da casa, segurando a chave na mão. Em circunstâncias diferentes, ela poderia ter ficado irritada com a familiaridade da mulher, mas ela tinha sido tão sincera em sua hospitalidade que Stella não podia sentir nada, exceto amparada.
Abrindo a porta da casa de Ashley e Niki, ela foi direto até a sala de estar. A casa foi recentemente construída e era bastante moderna - a sala de estar era enorme, decorada em tons pasteis, com muita luz que vinham das inúmeras janelas. Stella puxou a mala para dentro e fechou a porta atrás dela. Na parede oposta à sua esquerda havia uma enorme TV de tela plana montada na parede, e na frente dela havia vários sofás, poltronas e pufes em diferentes formas e tamanhos. Elas pareciam muito confortáveis e acolhedoras.
À direita estava a porta que dava para a cozinha - que estava aberta e Vanessa podia ver os armários brancos e uma enorme mesa de jantar. Bem em frente dela, no entanto, era o que ela estava mais interessada em ver - as enormes portas francesas que conduziam ao jardim. Vanessa deu um passo nessa direção e, adivinha? - Havia uma piscina, espreguiçadeiras e uma churrasqueira lá fora. Virando-se, um pedaço de papel branco na mesa de café chamou a sua atenção e ela foi pegá-lo. Era um bilhete de Ashley.
Bem-vinda!
Sinta-se em casa - seu quarto é no andar de cima, a segunda porta  do lado esquerdo. Organize as suas coisas, relaxe, tome um banho - o que quiser. Estarei de volta em torno das 4. Mal posso esperar para vê-la!
P.S. Esse chip é para você. Coloque em seu telefone e eu te ligo assim que puder.
Te amo!
Ashley

Vanessa colocou o chip no seu telefone e mandou uma mensagem para sua mãe com seu novo número italiano. Depois, ela fez como instruído - arrastou a mala até as escadas e encontrou seu quarto. Ele era bastante espaçoso, com uma cama grande no meio. Havia também um enorme guarda-roupa, uma mesa e um par de pufes  espalhados. E o melhor de tudo - era uma suíte. Vanessa sorriu e se jogou sobre a cama.
Uma hora mais tarde, ela tinha organizado suas coisas, tirado a calça jeans, tomado um banho, usava um vestido amarelo e branco, e chinelos, e ainda tinha três horas até que Ashley chegasse em casa. Ela se olhava no espelho, enquanto tentava  domar seu cabelo longo loiro-escuro em um rabo de cavalo, Stella sentiu que não tinha estado tão bem há muito tempo. Ela estava radiante de felicidade e havia paz em seus olhos cinzentos que não estavam lá apenas um dia atrás.
O sol estava brilhando lá fora e não havia uma única nuvem no céu. Como uma típica londrina, isso apenas a fez se sentir mal em ficar sentada dentro de casa, quando o tempo estava tão bom, então ela pegou seu guia turístico de Gênova, e partiu para explorar a cidade por conta própria.
Corso Itália era um passeio de dois quilômetros, e estava a dez minutos a pé da casa de Ashley. Ele teceu paralelamente à praia as duas milhas, e Vanessa pôde apreciar a paisagem à beira-mar à sua esquerda e à paisagem urbana, à sua direita, enquanto caminhava. Gênova era verdadeiramente uma linda cidade, embora pudesse  ser um pouco esmagadora a princípio. A maioria dos edifícios eram brilhantemente coloridos em laranja, vermelho, amarelo, azul e verde, e a explosão de cores pode fazer sua cabeça girar. Vanessa tentou não encarar as mulheres bronzeadas usando quase nada correndo, caminhando com seus cães ou conversando animadamente entre si. Ou os homens bonitões em shorts e alguns de patins passando por ela. Era um dia quente, em muitos aspectos, e Vanessa parou em uma barraca de sorvete e comprou um sorvete para tentar esfriar.
Chegando ao fim do Corso Itália, Vanessa decidiu fazer o caminho de volta, mas desta vez ela queria caminhar pela praia. Estava muito quente, e ela precisava desesperadamente de alguma brisa e água fresca para evitar o golpe de calor. A súbita mudança de clima já estava cobrando um preço em seu corpo.
Vanessa tirou os chinelos e desceu para o mar. Quando a primeira pequena onda lavou até os tornozelos, ela gritou de alegria. Pena que ela não tinha colocado seu biquíni sob o vestido - agora ela estava tentada a ir para a água com roupas. Em vez disso, ela começou a caminhar ao longo da praia, curtindo o sol, a areia debaixo dos seus pés, a água e a brisa refrescante. Havia tantas pessoas - mulheres lindas em biquínis minúsculos, homens bronzeados com abdômen tanquinho e encantadores sorrisos italianos, crianças correndo por aí gritando, os turistas em seus guarda-chuvas. Ela poderia avistar um turista em um quilômetro - eles eram pálidos, escondendo-se sob a sombra de suas sombrinhas ou chapéus de palha. Olhando para a sua própria pele pálida, ela percebeu que era uma turista, também. Stella precisava fazer algo sobre isso, se bronzeando o mais rápido possível. Seria sua missão ter um brilho dourado e saudável em toda a sua pele em menos de duas semanas, para que ela não se sentisse tão fora do lugar.
A buzina soou ao longe, e quando Vanessa virou em direção ao mar para olhar o enorme navio que tinha produzido o som, seu olhar ficou fixo em uma bela cena, a praia pitoresca empalidecia em comparação. Um salva-vidas saiu da água, calção laranja preso às pernas e água pingando em cima dele. Ele balançou a cabeça para se livrar de uma parte da água em seu cabelo e Vanessa sentiu como se tudo começasse a acontecer em câmera lenta - pequenas gotas de água deslizaram do pescoço para baixo pelo seu peito largo e braços musculosos, ao longo de uma tatuagem do lado direito do seu ombro, e para baixo, continuando em direção ao peito e o abdômen de tanquinho, finalmente se perdendo na cintura de seu tronco. Uma parte de outra tatuagem espreitava por cima do seu quadril esquerdo, a outra parte escondida debaixo delas. A pele bronzeada dourada brilhava ao sol e movia com tanta graça, que uma pantera seria considerada desajeitada ao lado dele.
Vanessa parada ali boquiaberta chamou a atenção do salva-vidas. No estilo típico italiano, ele sorriu e piscou para ela, antes de continuar andando até a praia e subir para seu posto. Vanessa sentiu a pele pálida queimar ruborizada, e isso foi o suficiente para a sacudir de seu transe. Foi "momento Baywatch" total e ela não podia resistir à tentação de olhar ao redor procurando qualquer câmera. Ela não podia acreditar que algo assim poderia ter acontecido, sem que ninguém registrasse para um filme ou pelo menos um comercial.
Reunindo o máximo de dignidade que conseguiu juntar em tais circunstâncias, ela continuou sua caminhada, como se ela não tivesse olhado para alguém por uns bons cinco minutos. Passando em frente de seu posto de salva-vidas, ela não podia deixar de olhar para a criatura estilo deus. Ele encontrou seus olhos com um sorriso diabólico no rosto. No entanto, em vez de achá-lo arrogante, Vanessa achou que era sexy como o inferno.
O som do seu telefone a assustou e ela pulou, o coração batendo em seu peito. Pegou do bolso de seu vestido, e sorriu antes de deslizou seu dedo para cima para  aceitar a chamada.
 Onde você está? Acabei de chegar em casa e você não está aqui, eu olhei em todos os lugares! Você está bem? — Voz em pânico de Ashley soou do outro lado.
 Eu estou bem, Ash. Não pude resistir em sair para fazer alguma exploração - o clima é tão perfeito!
  Sim, ele soaria assim para um londrino, eu suponho. — Os dois riram. — Onde você está?
  Na praia. Eu estava prestes a voltar.
  Ok, você pode encontrar sozinha o caminho de volta, ou você quer que eu vá buscá-la ?
                         A praia está há dez minutos a pé da sua casa, eu acho que eu posso encontrar.
 Ok, se apresse. Eu mal posso esperar para te ver!
  Eu também. Vejo você daqui a pouco.
Desligando o telefone, Vanessa não conseguiu resistir em virar e dar uma última  olhada no salva-vidas. Para sua grande decepção, ele não estava lá. Discretamente, ela esquadrinhou o mar e a praia, mas não podia vê-lo. Oh, bem, será que ela imaginou a coisa toda? Ela era conhecida por devaneios. Para certificar-se, ela fez uma nota mental para perguntar a Ashley quando fosse para a praia amanhã.
Quando Vanessa entrou pela porta, Ashley a agarrou em um abraço de urso.


 Estou tão feliz por você estar aqui. — disse ela, com a voz abafada contra o ombro de Vanessa.
   Eu também.
Dez minutos mais tarde, cada um delas sentou-se em um pufe com limonada gelada na mão. Ashley falou sobre a universidade e seus empregos de verão com grande entusiasmo. Ela também disse a Vanessa que mal podia esperar para apresentá-la a seus amigos - ela tinha certeza de que eles iriam amá-la.
  Deixe-me avisá-la sobre Zac. — Ashley havia mencionado seu amigo Zac algumas vezes antes, e Vanessa se perguntava se havia algo mais do que amizade entre eles, porque Ashley sempre falava com tanto carinho dele. Vanessa levantou uma sobrancelha interrogativamente, esperando o discurso nós-costumamos-ser-amigos-mas-somos- agora-amantes.
 Não, não, não é assim. Nós somos amigos.
Vanessa bufou em um "Sim, claro" de uma forma que Lisa ficou séria. — Não é assim. Quando cheguei aqui, há cinco anos, eu tinha acabado de perder tudo o que eu conhecia - o meu pai, a casa em que eu cresci, minha melhor amiga... Minha mãe achava que eu precisava falar com alguém e me enviou a este grupo de apoio. Foi aí que eu conheci Zac. Seu pai tinha morrido dois anos antes e ele estava finalmente tentando lidar com isso.

 Encontramos apoio um no outro. Nunca houve qualquer atração física entre nós  e nunca haverá. Mas eu posso dizer honestamente, além de você, ele é meu melhor amigo.
Vanessa  assentiu com a cabeça, tentando não voltar a esse tempo, há cinco anos.
  Mas, tanto quanto eu o amo, ele é um terrível paquerador. Então, estou avisando - ele vai tentar encantá-la no início, mas uma vez que você passe por isso, verá que ele é um grande cara.
Vanessa sorriu, sem saber o que dizer.
Além disso, há a irmã dele,Gia, que é uma chef incrível e trabalha em um restaurante muito chique. Ela prometeu cozinhar para nós quando tiver uma noite de folga. Ah, e Beppe - ele é amigo de Zac desde a escola. Ele pode ser um pouco intimidante para pessoas que não o conhecem bem, mas eu tenho certeza que você vai adorá-lo.
  Soa como um bom público. — disse Vanessa, já impaciente para conhecê-los.
Elas conversaram por horas sobre tudo e qualquer coisa, mas parecia que se passaram apenas alguns minutos, quando Niki entrou pela porta. Ao ver Vanessa, um enorme sorriso apareceu em seu rosto e ela abriu os braços. Vanessa abraçou sua tia e derreteu em seu abraço, afastando todas as dúvidas sobre a vinda dela aqui. Era definitivamente a coisa certa a ser feita.
Isso está incrível, tia Niki. Você que fez isso? — Vanessa perguntou, quando provou o melhor tiramisu do mundo.
   Sim, ontem à noite. — Sua tia brilhou positivamente com satisfação, e as meninas terminaram a sobremesa em tempo recorde.
Ashley sempre se pareceu com sua mãe, mas agora, cinco anos depois que Vanessa a tinha visto pela última vez juntas, elas eram como gêmeas. O clima italiano, obviamente, teve um grande efeito sobre sua tia, porque ela nunca tinha aparecido assim - sua pele estava levemente bronzeada e brilhava com saúde, seus olhos verdes tinham o brilho travesso que Vanessa se lembrava de sua infância, e seu corpo estava magro e tonificado. A única diferença entre mãe e filha era que o cabelo loiro de Ashley estava longo e ondulado, enquanto Niki mantinha o dela elegantemente logo abaixo das orelhas.
Elas estavam tão ocupadas comendo a deliciosa refeição que Niki tinha preparado, que Vanessa tinha esquecido de lhes contar sobre “o” salva-vidas.
 Eu fui para a praia hoje, e Ashley, nós temos que voltar amanhã! Tinha um salva-vidas incrível - ele devia ser de outro mundo, tão quente! Eu não podia acreditar nos meus olhos... — Tanto Niki como Ashley caíram na gargalhada e Vanessa olhou para elas com curiosidade. — O quê foi?
 Oh, querida, além do cenário, alimentação e clima, a outra coisa que você vai encontrar "de outro mundo aqui" — Niki fez aspas no ar com os dedos — são os homens. Eles são muito carismáticos. E bonitos. Mas cuidado, eles são muito charmosos até que consigam o que querem de você, mas não espere um relacionamento.
Vanessa tinha esquecido como fácil era falar com sua tia - ela poderia conversar com ela sobre qualquer coisa, sem se sentir desconfortável.
Não se preocupe, tia Niki. Eu também estou apenas procurando diversão. — Ela piscou para ela e as três riram.
Depois do jantar, Ashley se desculpou porque tinha que terminar uma pintura para sua aula no dia seguinte, e Vanessa ficou na cozinha para ajudar a sua tia com os pratos.
 Estou tão feliz que você finalmente decidiu nos visitar, querida. — ela disse calorosamente, mas havia tristeza em seus olhos.
 Eu também. É maravilhoso aqui.
Elas ficaram em silêncio por um longo tempo, antes de Niki falar novamente.
  Eu queria chamá-la, você sabe... — ela começou, mas sua voz tremia e ela não terminou a frase.
Ela queria chamá-la, também.
Quando falou isso, lágrimas derramavam dos olhos de Niki e ela as afastou com as costas da mão.
  Ela já te perdoou.
Niki exalou um profundo suspiro e assentiu. — Ela sempre foi uma pessoa melhor.
 Não se trata disso, tia Niki. Todo mundo lida com a tragédia de forma diferente. Minha mãe queria ficar na casa dela, precisamente porque tinha tantas lembranças. Você queria ficar longe - esse era o seu caminho. Não se sinta culpada que você fez o que  tinha que fazer para você e sua filha.
Niki ainda estava chorando em silêncio e não respondeu.
 O importante é que nós - estamos quase de volta ao normal agora. Nós nunca vamos voltar a ser as mesmas pessoas que éramos, mas conseguimos reconstituir as nossas vidas. Nós não desmoronamos.
 Quando você ficou tão inteligente e madura? — perguntou Niki, em meio às lágrimas.
Quando eu tive que lidar com a perda de meu pai e meu irmão, assim como o câncer. Isso faz isso com uma pessoa.
Em vez disso, ela disse: — Quando você estiver pronta, ligue para ela. Veja o que acontece.
Niki assentiu, enquanto Vanessa a abraçou. Ficaram assim mais tempo do que o necessário, precisando do apoio uma da outra.
 Então, os pratos estão em ordem. Onde é o estúdio de Ashley? Eu adoraria ver seus quadros. — disse Vanessa, para quebrar a tensão e mudar de assunto.
 Eu tenho medo que você não possa. Ela é muito discreta sobre isso, ninguém está autorizado a entrar - nem mesmo eu.
 Você nunca viu nenhum dos seus quadros?
 Oh, eu vi. Os que ela escolhe me mostrar. Venha, eu vou te mostrar, eu tenho todos eles guardados.
Vanessa tinha acabado de falar com sua mãe no Skype, quando houve uma batida suave na porta de seu quarto.
  Entre.
  Oi — Ashley escorregou, já de pijama, e sentou-se na cama ao lado de sua prima.
 Eu vi algumas de suas pinturas. Elas são incríveis, Lis. Eu não posso acreditar o quão talentosa você é.
Ashleysorriu e acenou com a cabeça, mas não disse nada. O que, como bem sabe Vanessa, significava que ela não queria discutir mais isso. O inferno que ela não iria.
 Então, o que há com esse seu estúdio super-secreto?
— Não é super-secreto, eu só não gosto que ninguém veja o que eu estou trabalhando antes de eu terminar, e ficar satisfeita com o resultado.
Isso soou muito razoável e convincente. O problema era que Vanessa não acreditava que essa era a única razão, porque simplesmente não era típico de Ash manter segredos. Sim, ela era mal-humorada e tendia a cair em seu próprio mundo, às vezes, mas ela era uma artista. Isso vinha com esse dom.
Suspirando, Vanessa decidiu deixar isso quieto por agora. Afinal, era a sua primeira noite juntas.
 Você se importaria se eu ficasse aqui esta noite? — perguntou Ash.
  Claro que não. — disse Vanessa, e abriu espaço na outra ponta da cama.
 É que amanhã de manhã eu tenho que estar na galeria, e não vou conseguir vê- la até o final da tarde. — Ela parecia culpada e em conflito - era óbvio que Ashley amava o que fazia, mas ao mesmo tempo ela se sentia mal por não gastar cada segundo com Vanessa, já que elas não se viam há cinco anos. Mas essa não era a única razão, Vanessa suspeitava que sua prima também estava preocupada com ela por causa de sua doença.
  Não se preocupe, Ash. Eu não espero que você largue tudo por minha causa. Eu vou ficar bem? Eu vou fazer uma corrida na praia pela manhã e, em seguida, eu devo dar um passeio ao redor da cidade.
Quando Ashley não disse nada, Vanessa continuou: — Eu estou bem. Eu não me sinto tão bem há meses. Estou muito feliz por estar aqui. Eu vou me divertir muito neste verão. Então pare de se sentir mal por isso - eu estou bem, apenas abandonada. — Isso fez com que Ashley desse uma risada, assim como Vanessa havia previsto.
 Ok. Mas à tarde, quando eu voltar, eu convidei todos para conhecê-la.
   Parece ótimo.
Elas conversaram até o meio da noite, tentando dormir várias vezes, mas incapazes de deixar a companhia uma da outra. No final, Ashley não conseguia manter os olhos abertos por mais tempo e adormeceu, enquanto Vanessa falava sobre sua obsessão com True Blood.
Logo, ela também adormeceu, sorrindo para a visão do verão maravilhoso pela frente. A última coisa que veio em sua mente antes que ela perdesse o pensamento consciente, foi a de um salva-vidas quente.

Eu gostaria de poder vê-lo novamente. Apenas uma vez.
♥♥♥
Olá meninas! Como vocês estão??? O que estão achando da história?
Se comentarem bastante posto o próximo capítulo ainda essa semana!!!
E falando em capítulos,gostaria de saber se vocês estão achando dos capítulos,digo em relação ao tamanho,porque eles são um pouco grandinhos né?! rsrs
Se estiver ficando cansativo,me falem que eu divido os capítulos em partes! Aguardo os comentários! 
Amo vocês,xoxo

7 comentários:

  1. Devo confessar que estou amando a sua fic. A historia esta perfeita e o tamanho dos capítulos também. Acho que a Nessa terá um verão e tanto na Itália com este salva vida quentee. Rs
    Bjoss posta mais logoo

    ResponderExcluir
  2. Olhaaaa n vejo a hora de Zac aparecer,ele é o salva vidas né?Aiii posta logo estou ansiosa!A fic tá pft e o tamanho dos cáps tbm

    ResponderExcluir
  3. Tbm to achando que o Zac é o salva vidas hahahaha quero só ver a cara da Vane quando descobrir hahahaha posta mais logoooo

    ResponderExcluir
  4. perfeito está bom ?? kkkkk
    adorando
    poste logo

    ResponderExcluir
  5. Que salva vidas heim hahaha
    Muito ansiosa para o encontro oficial do Zac e Vanessa. *-* ❤

    ResponderExcluir
  6. Certeza que o Salva vidas delícia é o Zac... Tem que ser hahaha. Tô adorando e os capítulos estão ótimos, o tamanho deles estão bons, não está nada cansativo. Continua logo Rafa ❤️❤️❤️

    ResponderExcluir
  7. vc ta demorando kkkk me matando de curiosidade
    posta logoooooo

    ResponderExcluir