sábado, 28 de janeiro de 2017

Capítulo Dezesseis

Vanessa acordou cedo - mais uma vez. Recentemente, ela estava dormindo apenas algumas horas por noite, e estava começando a cobrar seu preço. Ela se sentia cansada e fora de equilíbrio. Apesar disso, ela decidiu sair para uma corrida, porque isso iria elevar seus níveis de energia, mesmo que o simples pensamento de fazer qualquer coisa remotamente física agora parecia uma tortura.

Colocando suas roupas para malhar, Vanessa deixou a casa o mais silenciosamente que pôde, porque ninguém mais estava acordado ainda. Na praia, ela decidiu correr na direção oposta à sua rota habitual, porque a chance de encontrar Zac era muito grande, ela não tinha vontade de ver ou falar com ele tão cedo. Ela precisava de um pouco de oxigênio bombeando em seu sangue primeiro, a fim de pensar direito e enfrentá-lo.

Ontem foi um dia duro. Vanessa tinha sido jogada de um extremo emocional para o outro, e ela estava se sentindo tonta até o momento em que, finalmente, chegou em casa e caiu na cama. Lembrando como carinhosamente Zac a segurou em seus braços na noite passada trouxe um sorriso ao seu rosto. Ambos cometeram erros, mas o importante foi que eles assumiram a responsabilidade das suas ações. Quando ele a deixou depois, ele tinha prometido sem mais jogos. Sem mais provocações. A atmosfera no carro havia mudado quase que instantaneamente - Vanessa tinha relaxado e Zac  parecia  menos intenso sobre como se sentia.

Isso lhe deu esperança de que talvez eles pudessem trabalhar com isso. Talvez a atração entre eles crescesse para uma amizade e, talvez, no momento em que ela  tivesse que ir para casa, Vanessa teria ganho um bom amigo, em vez de um coração partido.

Ela ainda o queria, cada pedaço dele. Ele ainda pode fazer seu corpo agir por conta própria com um único olhar.
Mas só se poderia esperar.

*
Zac tinha saído de sua casa no piloto automático. Tinha dormido apenas umas duas horas, e se sentia exausto. Mesmo sem perceber, ele colocou suas roupas para correr e saiu.

Ele colocou o volume de seu iPod no máximo e, tentando não pensar em nada, começou a correr. Infelizmente, a música alta não conseguia abafar seus pensamentos completamente. Logo, as imagens de Vanessa ontem inundaram seu cérebro. Sua dança com esse cara, aquele risada adorável e contagiosa dela, sua decepção com ele, seu corpo quente relaxando contra seu peito, seu cabelo macio, cor de mel entre os dedos.

Beppe estava certo. Zac era um idiota. Ele a fez chorar ontem à noite, por Cristo! A última coisa que ele queria fazer era machucá-la. Ele encerrou todos os jogos.

Vanessa foi a melhor coisa que tinha entrado em sua vida, há muito, muito tempo, e ele seria condenado se a perdesse. De agora em diante, ele seria o que ela precisava que ele fosse.

Correndo e pensando, Zac tinha esquecido completamente em prestar atenção para onde estava indo - até que ele percebeu que ele não estava em sua rota normal. Era tarde demais. Vanessa estava vindo em sua direção, usando seu bonito short de corrida e camiseta regata incrivelmente apertada.

Ela definitivamente não estava tornando a sua tarefa mais fácil. Como ele deveria resistir a ela, quando ela era tão sexy? Zac era um cara que não babava a cada menina bonita, ele era um cara que estava rodeado por um monte de mulheres, que tinha amigas e que poderia, em geral, controlar-se muito bem com as mulheres. Ele era um salva-vidas - ele trabalhava em torno de mulheres lindas e seminuas o tempo todo, sem a desconfortável sensação do calção repentinamente ficar muito apertado.

No entanto, no momento em que Vanessa apareceu em sua linha de visão, seu coração começou a bater mais rápido, e seu short definitivamente, ficou muito mais apertado.

Ao vê-lo, ela diminuiu o passo para um movimento lento e, mesmo à distância, Zac podia ver a boca espalhando-se num sorriso.

—O quê foi? — Ele perguntou, quando ela chegou até ele e parou, ainda sorrindo e com um brilho de diversão em seus olhos.

—Eu fui na direção oposta hoje para me certificar em não correr direto para   você. E olha onde isso me levou.

—Você está tentando me evitar, tesoro? — Seu sorriso era contagiante e ele se viu sorrindo, seu humor melhorando instantaneamente.

—Yeah.

—E por que isso?

—Eu não dormi muito, e você pode ser demais.

 Eu a domino. Eu gosto disso.

—Pare de sorrir como um idiota. Porque que você está tão feliz?

—Nada. — Vanessa prendeu-o com um de seus incrivelmente sexys olhares exigentes, mas ele não deu mais detalhes.

—Tudo bem: não me diga. Oh, a propósito, este não é o seu caminho também.

—Você está me perseguindo, Zachary?

—Não. Eu não dormi bem, e não estava prestando atenção para onde estava indo.

—Eu acho que minhas pernas que encontraram as suas por conta própria.
Vanessa revirou os olhos e passando por ele, continuou sua corrida.

—Te vejo depois — ela gritou por cima do ombro.

Zac pensou em correr atrás dela, mas decidiu contra. Claramente, ela precisava de seu espaço agora, e ele não ia se intrometer. Ele ficou maravilhado com a bunda dela por mais alguns momentos antes de continuar sua própria corrida.

—Pare de olhar para minha bunda, seu pervertido — ela chamou, sem sequer olhar para trás, mas o sorriso em sua voz era evidente. Zac riu abertamente, e correu para longe dela.

O dia tinha começado bem, e Zac se perguntou como iria acabar. Por alguma razão, desde que Vanessa tinha chegado seus dias se tornaram imprevisíveis. Antes disso ele tinha tudo muito certo em sua vida diária - como seus dias começavam, como eles terminaram, ele sabia. Na maior parte das vezes, não houve surpresas: apenas rotina. Agora, ele não tinha mais certeza de nada.

E ele gostava disso.

*
Vanessa sorriu todo o caminho de volta para casa. Às vezes, as coisas estavam destinadas a ser, e por mais duro que você tentasse evitá-las, você simplesmente não podia. Isso sempre foi uma verdade em sua vida, mas a diferença é que era geralmente sobre algo ruim.

Talvez minha sorte esteja virando? Já era tempo!

Quando ela chegou em casa, ela quase colidiu com Niki quando invadiu a porta da frente.

—Oh, desculpe, querida. — ela disse, enquanto a abraçava. — Tenho que correr, te vejo mais tarde?

—Claro. Tenha um bom dia, tia Niki.

—Você também, querida.

Vanessa lembrou que tinha a intenção de perguntar a sua tia sobre a conversa com sua mãe, mas não tinha tido a oportunidade. Pensando em Gina, Vanessa percebeu que não havia lhe ligado há um tempo. Talvez esta noite ela fique em casa, e fale com ela pelo Skype. Pegando seu telefone, ela escreveu uma mensagem rápida para sua mãe, pedindo-lhe para encontrarem em um bate-papo nesta noite. É claro que ela concordou quase que imediatamente.

Ashley estava na cozinha quando Vanessa entrou, mexendo o açúcar em dois copos de café.

—Eu te amo — disse Vanessa, enquanto pegava seu copo e beijava a bochecha de sua prima.

—Eu sei — disse Ashley, pegando o seu próprio copo e caminhando até a mesa. — Correndo com Zac de novo?

—Na verdade, correndo dele. Tentei evitá-lo, mas de qualquer maneira nós nos encontramos.

—Oh. Por que você estava tentando evitá-lo?

Vanessa suspirou e disse Ashley tudo o que aconteceu desde que elas tinham conversado no estádio domingo, assistindo ao jogo de Zac. Ashley era a sua amiga mais próxima e a matava esconder coisas dela, mesmo que isso significasse que ela tinha que sentar e ouvir outro discurso.
Depois que ela terminou a história, Ashley estava muito quieta, e havia algo em seus olhos - tristeza? Derrota? Compreensão? Vanessa não conseguia identificar exatamente o quê, mas não estava lá quando ela começou a falar.

—Eu acho que você não pode fugir do que está destinado a ser. — ela finalmente disse, tentando forçar um sorriso, mas não conseguindo.

—Isso é exatamente o que eu pensava. Não seria justo se fosse algo ruim, Ash. Mas eu estou tão pronta para finalmente algo de bom que esteja destinado a ser.

—Eu sei. Eu também.

—O que há de errado? — Vanessa apertou a mão de sua prima, porque ela parecia ter ficado muito triste em apenas alguns segundos.

—Nada. — Ela forçou um sorriso e desta vez quase conseguiu parecer convincente. —Eu só estou cansada.

Vanessa não queria pressioná-la, mas era evidente há algum tempo que algo definitivamente estava incomodando sua prima - algo que ela não tinha compartilhado com ninguém. Ela parecia uma pessoa que carregava um enorme fardo, tudo por conta própria. Vanessa  queria fazê-la falar, mas como? Se ela empurrasse, Ashley só iria se afastar ainda mais.

Ela iria falar com Zac. Talvez ele tenha algumas dicas sobre o que fazer.

—Então o que você quer fazer hoje? — Perguntou Ashley.

—Não sei. Primeiro, eu gostaria de tomar um longo banho quente. Então... Eu não sei. Talvez ficar em casa hoje ? —Tomar banhos de sol à beira da piscina?

—Parece bom. — Ashley sorriu, e Vanessa pensou que ela detectou um alívio em seu sorriso.

O humor de Ashley parecia melhorar ao longo do dia. Elas nadaram na piscina e descansavam em torno do jardim até o almoço. Então, Ashley fez alguns petiscos surpreendentes - mussarela e pesto bruschetta, batatinhas no vapor com manjericão, pedaços de melão envoltos em presunto de Parma, e iogurte congelado com biscoitos amaretti para a sobremesa. Stella simplesmente adorava comida italiana - tão simples e tão deliciosa.

Enquanto estavam na piscina, tentando digerir os alimentos, Vanessa estava lutando contra o desejo de tirar um cochilo. Sentia-se exausta, e o estômago cheio combinado com o tempo agradável e ensolarado não ajudou.

—Nessa?

—Sim?

—Eu tenho que sair por um tempo. Você acha que fica bem sozinha por umas duas horas? — Ashley perguntou.

—Sim, mas aonde você vai? Eu pensei que você não tinha que estar na galeria até ás cinco?

—Não, não é a galeria. Eu tenho que, hum, executar uma missão. — Foi a imaginação de Vanessa ou Ashley parecia um pouco culpada?

—Ok. Vá, eu vou ficar bem.

Ashley imediatamente pulou da espreguiçadeira e foi para dentro se vestir. Isso foi estranho.

Onde Ashley estava indo, que não poderia levar Vanessa com ela? E por que agia tão misteriosamente sobre isso? Alguma coisa estava acontecendo, com certeza.

Empurrando todos os pensamentos longe do seu cérebro, Vanessa relaxou e deixou o sono assumir seu corpo cansado.

Ela acordou duas horas depois. O sol ainda estava alto no céu, mas nem sinal de Ashley. Agarrando o telefone, Vanessa digitou:

Vanessa: Você está voltando para casa em breve?

A resposta de Ashley veio poucos minutos depois.

Ashley: Não, sinto muito, me atrasei. Vou direto para a galeria. Vejo você à noite.

Então, Vanessa estava sozinha em casa, sem nada para fazer. Entediada nem sequer começaria a descrever seus sentimentos. Ela pensou em sair sozinha , mas de alguma forma ela, não queria ficar sozinha agora.

O que Zac está fazendo? Será que está no trabalho? Deveria mandar uma mensagem para ele?

Por que não deveria?

Vanessa: Ei, você está no trabalho?

Zac: Não. Por quê?

Vanessa:  Eu estou completamente entediada, Ash me abandonou há duas horas. Quer me divertir?

Zac: Eu estou á caminho. Te vejo em 10 m.

Vanessa se levantou tão rapidamente que se sentiu tonta. Correndo até o andar de cima, ela trocou o biquíni por um vestido de algodão simples e chinelos. Assim que ela entrou no banheiro para arrumar o cabelo, o telefone tocou novamente.
Zac: Use um biquíni.

Porcaria. Ela tinha acabado de tirá-lo. No momento em que ela tinha se trocado novamente e arrumado seu cabelo, Zac já estava esperando do lado de fora em sua BMW.

—Oi — Vanessa disse assim que se jogou no banco do passageiro. — Nós vamos à praia?

—Não — ele disse, com um sorriso malicioso.

—Então, por que eu tenho que usar um biquíni?

—Você vai ver. — Ele piscou, e seu corpo traiçoeiro virou uma bagunça.

Zac estacionou o carro perto das docas. Ele tirou uma grande mochila do carro e, acenou para uma Vanessa muito confusa para segui-lo, indo direto até as docas. Eles passaram por grandes barcos e navios ainda maiores, que transportam de tudo, desde turistas até cargas, antes de chegarem a uma parte diferente. Parecia que era usado para iates particulares, porque todos os barcos ancorados lá eram menores e pareciam de lazer, ao invés de comercial.

Eles chegaram a um belo iate branco, com o nome — Elsa — escrito em azul. Vanessa parou e olhou, porque essa era a última coisa que ela esperava.

—Você veleja? — ela perguntou.

—Sim, desde que eu era criança. Meu pai adorava barcos. Elsa era dele. — Ele pegou a mão de Vanessa e levou-a em direção ao barco. Ele ajudou-a e, em seguida, subiu também. Depois de colocar sua bolsa na cabine, Zac ficou ocupado ao redor do barco, e Vanessa não tinha ideia do que estava fazendo. Ela nunca tinha estado em um barco antes.

—Sente-se, por favor. Nós vamos sair e eu não quero que você caia.Quando sair daqui, em águas mais calmas, você pode olhar ao redor, OK?

—Sim, sim, capitão. — Vanessa falou e sentou-se ao lado dele. Ele sorriu para ela, ligou o motor e partiu do cais.

Eles navegaram por um tempo, com Zac no controle absoluto do barco. Quando chegaram a um lugar isolado, que não poderia ser visto da costa, e sem outros barcos em volta, Zac abrandou e deixou cair a âncora.

—Está com fome? — Ele perguntou.

Vanessa assentiu com a cabeça e ele desapareceu na cabine. Ele trouxe sua mochila e pegou dois sanduíches e dois refrigerantes em lata. Ele também tirou a camisa e, seguindo o seu exemplo, Vanessa se livrou de seu vestido. Deitaram-se no convés, comendo seus sanduíches e desfrutando do sol.

Nenhum dos dois falou por um tempo, mas foi um daqueles silêncios confortáveis, que não havia necessidade de preencher.

Até o telefone de Zac tocar. Ele havia deixado na bolsa e sinalizou a Vanessa para pegá-lo, porque estava mais perto dela. Ela olhou para a tela - era Beppe. Zac fez um gesto para ela pegar e ativar o viva-voz, uma vez que ele estava segurando seu sanduíche e sua bebida.

—E ai? — a voz alegre de Beppe soou do outro lado. — Onde está você, cara?

—No barco.

—Oh, merda. Eu estava esperando tomar uma cerveja.

—Sinto muito, cara. Amanhã?

—Sim, talvez. Hey, já que dancei com sua namorada na noite passada e não consegui nada para mim — Os olhos de Zac arregalaram com o choque, e Vanessa riu — Eu acho que você me deve uma noite só de garotos. Apenas nós dois. — Beppe fez uma pausa, escutando. — Será que foi a risada de Vanessa que ouvi?

—Yeah. E você está no viva-voz, então cale a boca.

—Você a levou em seu barco?

—Obviamente — A voz de Zac era severa.

—Eu pensei não era permitido ninguém em seu barco! Eu estou implorando há meses, é como um ímã para garota...

—Que parte de “calar a boca” você não pegou, idiota? Eu te ligo mais tarde — disse ele e terminou a chamada.

Zac não encarou Vanessa no olho, e calmamente terminou seu sanduíche.

—Ele dançou com sua namorada? Quer elaborar sobre isso? — Vanessa estava tão feliz que não resistiu a provocar Zac um pouco. Na breve conversa de dois minutos, Beppe tinha dado material para provocá-lo por toda a tarde.

—Não — Ele tomou um gole de sua bebida, olhando em sua direção.

—Ok. Que tal, por que sou permitida em seu barco, e ninguém mais é?

Ele colocou a bebida no chão e olhou para ela com tal intensidade que ela sentiu a necessidade de cobrir-se com alguma coisa. Era como se ele estivesse olhando para a  sua alma.

—Este barco é a única coisa de valor que me resta do meu pai. Ele amava-o com todo o seu coração, e eu sinto que seria desrespeitoso com ele trazer qualquer um aqui.

—Mas é Beppe, não é qualquer um. —Max deu de ombros.

 — Eu não sei. Isso não parecia certo. Com o tempo, ele se tornou meu espaço pessoal. Me parece... Íntimo trazer alguém aqui.

A maneira como ele disse a palavra — íntimo — fez com que arrepios de prazer atravessassem o corpo de Vanessa. Ela decidiu deixar quieto. Era perfeitamente claro o que trazê-la aqui significava, mesmo que Zac não houvesse dito isso em palavras.

—Então, noite dos meninos, hein? — Ela perguntou, mudando completamente o tom e o rumo da conversa.

—Yeah. Há algo acontecendo entre ele e minha irmã. Ela está irritando-o e ele tem que extravasar, o que geralmente envolve pegar algumas meninas no lugar.

—Tenho notado a maneira como eles ficam juntos. Mas você disse que era normal, quando eu lhe perguntei.

—Eles sempre tiveram um relacionamento estranho, mas agora é diferente. Eles tiveram uma briga, pois o chefe de Gia gosta dela, e a beijou. Beppe ficou louco com ela, e depois daquele fiasco todo com a canção, ela não tem falado com ele.

—Então foi por isso que Gia tinha partido na outra noite, depois que Beppe cantou Lenny Kravitz . Falando em estranho, Ashley tem agido estranho recentemente. Ela me abandonou hoje para ir "executar uma missão" — Vanessa fez aspas com os dedos. — Ela se recusou a dizer onde ou com quem. E ela tem tido terríveis alterações de humor. Você sabe alguma coisa sobre isso?

—Não. Ela não me disse nada.

—Temos que descobrir o que está acontecendo, porque ela está me deixando louca.

Zac concordou com a cabeça, e começaram a arrumar o convés.

—Acho que devemos voltar. Eu tenho que estar no bar às sete.

Zac começou a manobrar o barco, e Vanessa, depois de colocar o vestido de volta, sentou-se ao lado dele. O sol já estava começando a se por e, combinado com o vento do barco em movimento, ela sentia frio. Lembrando que não tinha pensado em pegar um casaco, ela abraçou a si mesma, tentando se manter mais quente.

—Ei, você está com frio? — Perguntou Zac.

—Um pouco.

—Aqui. — Ele vasculhou sua bolsa e tirou seu capuz. Depois de colocá-lo, ele levou seu braço em volta dos ombros dela, e abraçou ao lado dele.

Naquele exato momento, em um barco no meio do mar, nos braços de Zac, Vanessa se sentia verdadeiramente feliz.


5 comentários:

  1. Que perfeitoooo!!
    O que será que a Ashley tanto esconde hein!? Louca pra descobrir hehehe
    E essa tarde no barco foi tao fofa... Amei!!
    Ja estou ansiosa pelo proximo capítulo!!
    Posta mais, pleaseee!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ai que lindo, os dois juntos no bar. O Zac significa muito para a Vane e a Vane para o Zac, acho que já esta na hora deles ficarem juntos. Estou ansiosa para saber o que esta acontecendo com a Ashley. Posta mais logoo. Bjoss

    ResponderExcluir
  3. Ai q lindo amei o capítulo..
    Posta logo por favor

    ResponderExcluir
  4. Algo me diz q Ash gosta do Zac, tomara q não haja, tadinha. Posta mais logo

    ResponderExcluir
  5. Oh mds q cap perfeito Zac, Nessa em um barco 😍😍 mds será q a Ash gosta mesmo do Zac?? Eu espero sinceramente q n bjs 😘😘😘

    ResponderExcluir